Buscar no Site:       Procenge        
Contato Sobre CyberArtes Acervo Encontrei por Aí Dicas & Curiosidades Aprenda Mais Artista da Semana Home

 

[ 71 ]

Esculturas em gelo

Tamanho da Letra: Normal +1 +2 +3 Fundo Branco Fundo Preto

 

Esculturas em gelo
Aqui no Recife não da pra ficar brincando com isso mas já aconteceu umas poucas vezes. Houve um evento na Torre Malakoff em que colocaram uma montanha de barras de gelo e um holofote iluminando tudo, na entrada do local. Com o calor, o gelo foi derretendo e desmoronou com estardalhaço e a galera ficou um tempão esperando o desmoronamento, todo mundo paradão vendo o gelo derreter. Houve também uma performance no Centro Cultural Benfica, que pertence a Universidade Federal de Pernambuco, onde uma escultura aos poucos era transformada em água, com o derreter do gelo. Durante uma viagem até Fernando de Noronha a escultura de um cisne em tamanho natural durante um jantar no navio, chamou a atenção pela beleza e por ser feita em gelo. Era linda, interessante, mas nada parecido com o que vamos apresentar agora.


Festival de esculturas na cidade de Harbin, na China – monumentos fantástico em gelo

Acho que não se discute que a vida surgiu na água e onde há água, normalmente há vida e onde há vida, sempre acontece a arte. Pelo menos onde há vida inteligente. Entretanto, á água não é um suporte muito usado para o trabalho dos artistas e as esculturas em gelo chamam a atenção como coisa diferente e incomum. Os equipamentos e ferramentas para trabalhar no gelo nem sabemos exatamente quais são mas deve ter serras, escopos, formões, brocas e coisas parecidas. Uma certa proteção com luvas certamente é imprescindível e óculos para resguardar a vista de acidentes. Isso tudo é imaginado porque, de fato, não é sabido por nós. Temos aqui alguma experiência frustrada de fazer bonecos de neve mas nenhuma tentativa de escultura em gelo.


O Carnaval no Brasil, escultura feita em Harbin por dois artistas, um brasileiro e outro australiano, para o festival de escultura, arrebanhou o premio de segunda categoria. O Buda estava no festival de inverno de Quebec, no Canadá, onde também figurava a escultura que ilustra a abertura dessa matéria – arte muito gelada


A água é imprescindível para a vida tal qual a conhecemos. É possível que nos confins do Universo exista vida sem a presença de água mas aqui no nosso planetinha, uma coisa está associada a outra. A água é também extremamente abundante no planeta, já que três quartas partes de sua superfície é de água mas menos de 0,1% da água existente está disponível para consumo humano. Mesmo assim é abundante e perto de 3% da água está na forma de gelo. Deveria haver mais obras de arte usando esse material, a concluir por esses números mas não é o caso. E nem a água utilizável é assim tão abundante.



Harbin, na China – quase 40 graus abaixo do zero

A cidade de Harbin, no nordeste da China, é conhecida como a Cidade de Gelo. No inverno a temperatura de lá chega a beirar os 40 graus negativos e os artistas trabalham fazendo esculturas em gelo e lanternas de gelo. Se nós aqui de CyberArtes resolvermos fazer uma visita vamos viajar em alguma espécie de microondas com rodas porque não da para enfrentar 40 graus abaixo do zero nem por um minuto mas a turma de lá está habituada e produz arte com o gelo. Uma das esculturas mais típicas tem a origem nos antigos pescadores (Meu Deus! Com esse frio e eles ainda vão pescar!), que protegiam a chama das velas com blocos ocos de gelo. Hoje eles colocam água em um balde e assim que ela fica congelada na parte mais externa, tiram o bloco de gelo do balde, fazem um furo para retirar a água ainda líquida e preenchem a cavidade com vela derretida, criando assim uma lanterna. Chamam isso de bingdeng ou binding e procuramos em um monte de sites chineses por uma imagem mas não conseguimos, exceto se considerarmos as grandes esculturas iluminadas como lanternas gigantes. Se você tiver uma imagem melhor, por favor nos mande e colocaremos na matéria com a devida citação.


Mulheres, mesmo no gelo, a grande musa inspiradora – calor e frio

Em Harbin a atividade de esculpir no gelo é ao mesmo tempo a manutenção de uma cultura antiguíssima e a apresentação de uma arte moderna e engajada. Eles produzem verdadeiros monumentos e retratam tanto temas atuais de uma maneira moderna e atual como perpetuam as antigas tradições. Esculturas de belas mulheres estão por toda parte em grande número. Um frio de lascar e os chineses não deixam de ter na mulher a inspiração para a arte. Vai ver é por isso que lá tem tanta gente. Tudo isso usando essa mídia tão abundante mas ao mesmo tempo tão incomum para transportar a arte: água.


A beleza das esculturas em gelo – tradição e modernidade

Os chineses tem um dia em que acendem lanternas em todos os lugares. Segundo uma lenda um imperador havia mandado atear fogo em uma região porque os seus habitantes haviam matado um cisne de estimação do imperador. Naquela noite todos acenderam lanternas e olhando de longe o monarca imaginou que sua vingança estava cumprida e esqueceu do lugar. Não sabemos aqui da veracidade desses fatos mas ficamos sabendo da beleza das esculturas em gelo, independente das lanternas.


Harbin – monumentos construídos para durar pouco

Esculpir é, por si só, um ato quase mágico. Simples na sua definição a escultura é bem mais do que jogar fora o que não interessa e deixar vir a tona o que já existia no bloco de pedra ou de gelo. Nas esculturas em gelo da China é fácil perceber uma vida própria, a alma do artista ali colocada como um toque divino e palpitante de vida. As mulheres transmitem uma sensualidade quente mesmo sendo de gelo. As muralhas dos castelos transmitem uma solidez que, erradamente, quase nunca atribuímos ao gelo.


Esculturas em gelo – uma arte diferente para nós brasileiros

Aqui não sabemos dar muitas explicações sobre as técnicas e menos ainda sobre o ferramental para se trabalhar no gelo. Não conseguimos ler nada nos sites escritos em chinês. Uma das imagens tem uma faixa que talvez esclareça alguma coisa. Para nós não significa nenhuma explicação e apenas apreciamos a plasticidade dos ideogramas. E deixamos aqui de presente para vocês a beleza dessa arte feita em água na forma de gelo. Aqui no Recife faz um friozinho que nos permite ir a praia mesmo no mês de junho e mesmo assim já estamos achando frio demais. Imaginem só se nos mandarem para Harbin colher as imagens ao vivo.



Escultura em gelo – também como material publicitário


Veja mais em

http://www.harbin-ice.net/snowice/bingdeng/pic/006.htm

http://revistacriativa.globo.com/Criativa/0,19125,ETT880663-2242,00.html

 

 

 
Por Ronaldo Carneiro Leão – reclamando do tempo chuvoso
E Rê Rodrigues – achando que não é hora pra reclamar de nada


 



Ajude Cyberartes, compartilhe este artigo com seus amigos:

 
 
 

 

 

 

Procenge