Buscar no Site:       Procenge        
Contato Sobre CyberArtes Acervo Encontrei por Aí Dicas & Curiosidades Aprenda Mais Artista da Semana Home

 

[ 242 ]

Clube do fusca de Pernambuco

Tamanho da Letra: Normal +1 +2 +3 Fundo Branco Fundo Preto


Clube do fusca de Pernambuco
Na adolescência Paulo Bompastor tinha o sonho de possuir um Karmann Ghia vermelho. Era um sonho comum, compartilhado por todos os rapazes da época, mas, privilégio de uns poucos e Paulo não se incluía nesse grupo. Não tinha nem idade para tentar. A vida foi seguindo, Paulo virou empresário, foi acertando daqui, tropeçando acolá, mas no cômputo geral as coisa foram dando certo. Idade adulta, maturidade chegando e um belo dia, conversando em casa com a mulher, resolveu de repente: “vou comprar um Karmann Ghia pra mim”. Presente bem merecido. Um carro esportivo, avançado, moderno, quer dizer, isso na época da adolescência de Paulo. Hoje é carro antigo, com mais de 30 anos e não foi fácil encontrar um. Precisou pesquisar e ter um pouco de sorte.


Karmann Ghia 1969 – Paulo Bompastor

O primeiro Karmann Ghia de Paulo era ano 1971. Foi descoberto em uma pequena loja de automóveis em Olinda, escondido atrás de outros carros à venda. Depois de uma grande luta com o proprietário da época, o carro foi adquirido em péssimo estado. Para o carro foi bom, porque entrou logo em uma oficina, para uma operação plástica completa, que durou 6 meses e custou muito mais do que o carro. “Eu ia para a oficina todos os dias, ficava lá até as oito ou nove horas, acompanhando os progressos e ouvindo música brega. Aprendi todas as músicas bregas da época.”. E cantarolou para nós: “decidi tirar você da minha vida, não tem volta é pra valer, estou decidida...”, que nós aqui não identificamos. E o Karmann Ghia vermelho entrando na vida de Paulo. E o sonho se realizando.


Fuscas e todos os tipos – bandeiras brasileiras

Quando finalmente o sonho ficou pronto, ele resolveu ir a uma reunião de colecionadores de carros antigos, que sabia acontecer na Av. Boa Viagem. Organizou-se todo e foi. Na descida do viaduto, olhou pelo retrovisor e teve o maior susto: atrás dele, vinham 2 Karmann Ghias. A reunião atraia esse tipo de pessoa e se cumprimentaram ali mesmo, no viaduto. Era o início de uma intensa curtição por carros antigos. Hoje Paulo Bompastor é Diretor Social do Clube do Fusca de Pernambuco aqui no Recife e viaja para lugares distantes, só para se reunir com outros proprietários e colecionadores. É um grupo interessante, formado por colecionadores, donos de dezenas de carros antigos, super valiosos e outros que são donos de fuscas e o carrinho é tudo o que tem na vida e trabalham com ele diariamente. Conversam animadamente, cada um com seu tesouro, numa parceria igualitária de fazer inveja a qualquer regime político.


Fuscas e derivados – assunto também para as meninas

Gostar de Fusca e seus derivados, é assim como uma religião. Não existe nenhuma racionalidade no assunto e um carro desse tipo não tem realmente preço estabelecido. Depende da paixão de quem vê o carro em um encontro eventual e decide que o deseja para si. Os “Paulos” da vida, são frequentemente pessoas bem sucedidas financeiramente e trabalham a semana inteira usando carros novos e sofisticados, mas no final de semana saem por aí dirigindo DKWs, Buicks, Balairs hollywoodianos e até Romisetas, sem qualquer conforto como direção hidráulica e com retrovisores que não seriam aprovados hoje por nenhuma norma de segurança. Marcam encontros semanais em pontos estratégicos da cidade (em todas as cidades de bom tamanho) e dão um verdadeiro espetáculo enquanto conversam animadamente. Qual é o papo que rola? Há há! Tente adivinhar!

Maquiagem completa – o antigo virou novo

Paulo Bompastor ficou um tempo com a sua paixão mas, encontrou por acaso com um colecionador da Bahia. Foram meses de luta, o bahiano ligando todos os dias de Salvador e aumentando o preço porque lá não tinha Karmann Ghia e ele queria um de todo jeito e Paulo aqui resistindo. Um dia o bahiano ligou: “vou lhe fazer uma oferta que se você não aceitar você é muito burro.” Paulo respondeu: “quer dizer que se eu aceitar o burro é você?” O bahiano concordou e fez a oferta. Tinha recebido em um negócio um carro novo, de luxo, bem distante de um carro popular, com todos os apetrechos e opcionais e o oferecia inteirinho, sem volta ou mais delongas, em troca do Karmann Ghia 71, reconstruído. Paulo fez o charme de quem ia pensar, comprou outro Karmann Ghia ano 1969, de um carinha que o possuía quase desde novo. Estava no jardim da casa, sem uso e protegido por uma capa plástica. Era motivo de arengas enormes com a mulher que já havia dado o ultimato:”ou eu ou o carro”. O tal carinha já havia decidido pelo carro, mas aí surgiu Paulo, ofereceu um bom dinheiro, a mulher fez umas ameaças e o carro mudou de dono. O carro era quase todo original, o mais original que Paulo já havia descoberto e só então, com o Karmann Ghia novo garantido, quer dizer, com o Karmann Ghia ainda mais antigo garantido, fechou o negócio com o bahiano. O carro está com ele até hoje. O Karmann Ghia, é bom esclarecer. O outro só valia dinheiro.


Você gostaria de um carro assim? – É só comprar

O negócio de carros antigos é simplesmente bilionário. Bill Gates é um colecionador, mas quando se tem tanto dinheiro como ele a coisa perde um pouco o sabor da luta, do garimpo por uma preciosidade encostada em um canto e que pode ser recuperada passando-se meses indo todas as noites ouvir música brega na oficina, o zelo do cotidiano, a busca de uma peça necessária, essas coisas. Tem carro com 40, 50 anos e ainda com os pneus originais. Para conservar a borracha flexível é preciso protegê-la com hidratantes especiais, enfim... uma trabalheira tudo isso e é provável que Bill Gates não possa se dar a essa dedicação. Dentro desse segmento, os Fuscas ocupam um lugar muito especial e formam, isoladamente, uma comunidade impar. Não há um afastamento dos outros colecionadores mas o Clube reveste-se de características próprias. É possível encontrar proprietários de fuscas e derivados de todos os tipos e tamanhos, incluindo aí aquele cuja única propriedade é o tal fusca, o que não acontece com colecionadores de antigos carros americanos e europeus, no Brasil. Pertencer ao Clube do Fusca de Pernambuco é mesmo parecido com uma religião.


Para sair voando por aí e para ultrapassar todos os obstáculos - diversidade


Recentemente aconteceu um encontro em Águas de Lindóia-SP e serviu para mostrar o dinamismo e força do setor. Sempre está acontecendo algum encontro desse tipo. As ruas da cidade foram invadidas e quilômetros antes do local de concentração o comércio de peças originais e novas, fabricadas artesanalmente, superou todas as expectativas. Paulo estava lá. Deve ter ficado meio tonto. Falou-nos sobre isso com um entusiasmo de criança e todos os outros assuntos de que fomos tratar, ficaram em segundo plano. Na verdade saímos de lá satisfeitos de termos conseguido falar das outras coisas. Paulo nos mostrou revistas especializadas e material publicitário que demonstra bem o vigor do mercado em volta do Fusca e seus derivados.


Para famílias pequenas e grandes – flexibilidade dos modelos

Os carros são valorizados pela originalidade e conservação, mas outros destacam-se pelo ineditismo, pela transformação que sofreram e pela fantasia que ganharam. Alguns nem parecem mais Fuscas. É possível ver limusines, caminhonetas, jeeps e verdadeiros tanques de guerra. Há quem faça do seu fusquinha uma festa, com som incrementado e cores vibrantes. O cuidado com que os carros são preparados, são uma demonstração de amor e da dedicação que se coloca no planejamento e na execução do que deve ser uma fabricação completamente nova. Mas vale principalmente a originalidade do carro, mantendo-o da mesma forma como foram apresentados ao mercado como a última novidade, com documentação original e nota fiscal da fábrica. Nisso está a grande curtição da maioria.

Aqui no Recife você pode ver essas maravilhas todas as terças-feiras, na Av. Boa Viagem 3º. Jardim, a partir das 20h. Outro local de encontro é nas quintas-feiras, também às 20hs, na Praça de Casa Forte. Se você quiser algum contato, pode ser pelo telefone (081)2101.6400 com Paulo Bompastor, que é Diretor Social do Clube do Fusca de Pernambuco. Ou por e-mail paulo@dispertar.com.br .

 




Por Ronaldo Carneiro Leão - de carro novo (não posso comprar um antigo)
E Anna Guerra - pensando em comprar um mais novo ainda



Ajude Cyberartes, compartilhe este artigo com seus amigos:

 
 
 

 

 

 

Procenge